Essa investida é relativamente nova no mundo dos videoclipes, que geralmente recebem versões diferentes com cortes do diretor e não dois clipes diferentes para uma mesma música, muito menos em sequência. Se a divulgação de Anti já foi confusa, o novo clipe (ou “os novos clipes”) só vem provar que as confusões vão continuar e que nada vai ser explicado.

Se você, assim como eu, amou o novo álbum de Rihanna e esperava que tudo fosse bem mais alternativo nos clipes, pode tirar seu Anti da chuva! No quesito clipe, a gente vai continuar navegando na mesmice e com surpresas confusas pelo caminho.

Não tá entendendo? Calma, eu te explico! Work, primeiro single oficial do Anti, acabou de ganhar um clipe que tem duas versões, assinadas por diretores diferentes, na sequência.

Director X

Esse é mais um daqueles grandes exemplos que eu sempre gosto de bater bastante na tecla. Tem uma riqueza técnica indiscutível: Fotografia, figurino, maquiagem estão impecáveis. Rola até uma diversidade o que e um ponto muito forte nos dias de hoje. Tudo lindo e maravilhoso até aí! A mensagem já é clara pela letra da música e já pelos primeiros segundos do clipe: uma festinha jamaicana regada a maconha com influências do twerk americano. E só!

Tim Erem

Quando tudo parece acabar, a música começa novamente, com outra identidade, com tudo novo dessa vez dirigido por Tim Erem. Bem mais simples que o primeiro, a segunda versão mostra apenas o duo numa sala.  Rola até dizer que parece uma versão low cost e piorada. Mas aí, fica a gosto do freguês.

Vai, comenta também! :)