Rachel-Platten-Wildfire-2016-2480x2480

Sou um grande entusiasta de Rachel Platten e fui um dos primeiros blogs a trazer o nome dela ao Brasil, logo quanto ela estreou Fight Song em fevereiro do ano passado. A fama da cantora surgiu depois de caminhar 15 anos na indústria tentando emplacar um sucesso e, com essa mesma faixa, parar em episódios das séries Pretty Little Liars, Revenge e nos promos do recente seriado da Supergirl.

Fight Song foi a última investida de Platten antes de anunciar que iria desistir da carreira. Claramente tudo mudou e ela não percebeu como a faixa já era um grito de guerra para ela não desistir de si. Como a faixa começou a afetar outras pessoas a indústria fonográfica deu seus pulos e um EP foi feito de forma independente rendendo as faixas Congratulations, Lone Ranger (B-Side do single) e Beating Me Up.

Em pouco tempo ela conseguiu um contrato com a Columbia Records e o lançamento do clipe do seu debut smash hit. Já abraçada pela sua nova casa, Stand By You foi a música escolhida para substituir e anunciar que um LP foi encomendado. Tal faixa também ganhou clipe e visivelmente mais dinheiro como você pode ver no link acima. Mais alguns meses pra frente e foi a vez de anunciar o nome do primeiro álbum, Wildfire e o promo single Better Place que você escuta no final dessa review junto com o álbum completo, já disponível no Spotify desde os primeiros momentos de 2016.

Wildfire já começa com os dois pés no peito de 2016 com a fancy Hey Hey Hallelujah que tem participação de Andy Grammer e grande indicação de novo single. A faixa é uma junção de tudo que fez sucesso em 2015: Saxofones, influência vintage e um pouquinho de rock. SUCESSO na certa e algo totalmente inesperado. (Isso ficaria MARAVILHOSO em uma parceria com Tori Kelly)

A próxima faixa é Speachless e cumpre a métrica já conhecida de uma baladinha midtempo com vocais que explodem no refrão para dar aquele tom emotivo tão característico dos trabalhos já lançados de Platten (Fight Song e Stand By You).

Beating Me Up, Fight Song e Better Place já eram nossas conhecidas do EP e da prévia divulgação do Wildfire e carregam coralzinho, mensagens de superação, paz e amor. Beating Me Up é daquelas que também tem força pra single, já colocando o álbum da “novata” em destaque no ano de 2016.

You Don’t Know My Heart é uma daquelas faixas que facilmente poderia ser de Taylor Swift, bem animadinha e cheia de tambores, assim como a seguinte Angels In Chelsea. Astronauts, a antepenúltima faixa do material, da indícios de que tuo vai ser muito calmo, mas já no refrão entra com sintetizadores leves e te joga numa influência disco dos anos 90.

Pra terminar o álbum, a também retirada do EP Congratulations abre as portas para Superman em um ponto médio alto com aquele gostinho de querer um pouquinho mais da rouca voz de Rachel Platten! Essa última faixa lembra muito tudo que levou ela a ser mais conhecida com a mesma tônica nas composições. You don’t have to be Superman, you don’t have to hold the world in your hands…

Num resumo a gente pode dizer que Wildfire é daqueles álbuns que não deixam a peteca cair apesar de ser recheado de sentimentalismo. Em nenhum momento estamos dizendo que ele é uma obra prima da música e muito menos inovador, porém coloca a senhorita performer como um dos principais nomes para se prestar atenção em 2016 e que merece alguns prêmios por aí. O momento que Taylor Swift vai tirar férias com o final da sua 1989 é perfeito para colocar alguém como ela no lugar.

Vai, comenta também! :)